1º J. E. BAKU ’15 – dia 09

Sábado, dia de descanso a seguir à competição All-around, foi dia para gozar com calma e mais descontração a preparar a final Equilíbrio de Domingo.

Com a manhã passada na Aldeia em ritmo de passeio e um almoço para antes da 1 hora, dando tempo à digestão para o treino da tarde, lá fomos indo para o recinto de treinos onde das 14 às 16h poderiam treinar os finalistas de Equilíbrio. Não que todos tenham aparecido, pois apenas 4 pares estiveram a rodar os elementos técnicos e as coreografias preparando o dia seguinte. Russos e ingleses não apareceram para este treino da tarde, talvez por terem já treinado de manhã no período para os finalistas de dinâmico! Sem puxar muito pelo treino, pois são já muitos os dias consecutivos de trabalho, lá fizemos o nosso trabalho não deixando também de preparar a possibilidade de participar na final de dinâmico, pois o par búlgaro está com problemas físicos e nunca sabemos de pudemos ter uma surpresa de última hora.

Terminada a sessão regressámos ao Edifício da Missão Portuguesa, onde hoje recebemos a visita do Bernardo Tomás responsável técnico pela modalidade da FGP. No final do dia foi tempo de ir ver outros ambientes e viajar um pouco por Baku. Dizemos viajar, porque 50 minutos é o tempo de viagem à volta da cidade para atingir o complexo náutico onde se realizarão na próxima semana as provas de natação e onde hoje decorria a final de saltos para a água de trampolim de 3 metros, à qual fomos assistir. 2 horas de prova, muitos mortais e piruetas à procura do mergulho perfeito, numa modalidade onde encontramos muitas similitudes técnicas com as nossas na execução dos voos.

Depois o regresso a “casa” para jantar e descansar. Pelo caminho algumas notas do que vemos pela janela do autocarro, prédios novos, altos e com linhas modernas, partilham o espaço com habitações de aspecto degradado em muitos bairros de piso térreo, vias de comunicação novas e corredores de circulação exclusivos para os Jogos Europeus a demonstrar a preocupação para que tudo corra bem. Escolta permanente da polícia a cada autocarro do JE, em BMW’s brancos que observam cada movimento do autocarro e da sua envolvente, para terminar num exame minucioso a cada veículo que chega à Aldeia para largar passageiros. Muitas outras coisas atípicas se vão observando bem perto de nós junto à estrada. Máquinas e máquinas de extração de petróleo plantadas por muito lado, coabitam com um mundo mais normal de casas, empresas, estaleiros e edifícios modernos como o complexo aquático, num país que se organiza com cuidado e bom gosto no coração da sua cidade principal.

Amanhã será dia final de competição e resta aproveitar mais este momento único de participar nesta primeira edição dos Jogos Europeus, continuando a obter se possível, resultados tão bons como os já alcançados e a levar alto o nome de Portugal e da Académica.

FOTOS

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *